JB NEWS MA

A Pericia Oficial de Natureza Criminal amplia coleta de material genético e agiliza resultados dos exames através do trabalho realizado pelo Instituto de Genética Forense do Maranhão






Com o objetivo de ampliar a coleta e processamento de material genético no Maranhão, o Instituto de Genética Forense vem auxiliando não só em investigações policiais e processos criminais, como também a localizar pessoas desaparecidas no estado. 

O IGF, fundado em 2016, faz parte dos Institutos de Perícia Oficial da Grande Ilha , tem como missão fazer exames por meio da extração de DNA para obtenção do perfil genético.

Dentre as atividades realizadas pelo instituto estão os exames de identificação humana em cadáveres que não foram identificados. Nesses casos, os corpos são encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) e as amostras são encaminhadas ao IGF para a obtenção do perfil genético realizando uma comparação com o perfil de algum familiar. 

Os exames genéticos são de suma importância também para os casos em que há a ocorrência de crimes sexuais. Em tal casos, os exames são realizados para a comprovação da materialidade do delito e identificação do agressor. 

Já no confronto de vestígios, os peritos analisam vestígios encontrados no local do crime e que podem ter ligação do autor com a vítima. Para isso há a comparação do material genético coletado com o material do autor ou vítima. 

Todos esses exames são realizados em pessoas vivas ou mortas, assim como em objetos que contenham material genético. 

Para o armazenamento dessas informações, o IGF dispõe do Banco Estadual de Material Genético, que faz parte da Rede Nacional Integrada de Banco de Perfis Genético, a qual integra os Institutos do Brasil para cruzamento de dados, incluídos através dos exames realizados. 



“Para conseguir atender à demanda dos processos, o IGF conta com laboratório completo e com tecnologia de ponta que garante a confiabilidade dos resultados. No ano passado, o instituto recebeu uma nova plataforma extração automatizada que garante maior capacidade de processamento de amostras diminuindo o lapso temporal na emissão dos resultados”, afirmou Luzimar de Araújo, Gerente de Qualidade do IGF. 

Ela destacou ainda o trabalho realizado pelos peritos que compõem o instituto. 

“A Equipe é formada por Peritos Oficiais, além dos técnicos de laboratório, auxiliares de perícia e servidores administrativos. Todos os servidores passam constantemente por capacitações internas e externas, com foco na excelência do atendimento , dos resultados e da emissão dos laudos”, afirmou. 

Campanha Nacional de Coleta de DNA

Com o objetivo de ampliar as buscas por pessoas desaparecidas, a Perícia Oficial de Natureza Criminal, por meio do IGF, participa, desde junho, da Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas. 

O projeto, uma iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), executada em todo em país, em parceria com os Estados, busca coletar material genético de familiares de pessoas desaparecidas.

Todo o material coletado será armazenado no Banco Nacional de Perfis Genéticos, o qual  será cruzado, por meio de material genético do próprio familiar ou de algum item de uso pessoal do desaparecido. 

No Maranhão, até o momento, o IGF já coletou 183 amostras de 95 famílias. O instituto ainda está auxiliando no processo de 79 amostras de 41 famílias do Piauí.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem
header ads
header ads